segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

PESCADOR


Pescar pesca a dor
A minha dor
Que é graúda
E que nada
Nada mesmo
Nas águas fundas
Do meu eu
Que nada
Sabe de mim

Oh pescador
Eu sei que tua dor
Também navega
Pelas mesmas águas
Que a minha repousa

Uma dor
Nunca é maior
Do que a outra
Mas, oh pescador
Uma dor conforta
A outra

E sendo eu
A outra dor
Que nada
E nada sabe
Perante o tamanho
Dessas águas
Azuis
Que já foram um dia
vermelhas.

Pega a minha dor
Pescador

0 Opinião (ões):

Tecnologia do Blogger.

Inscreva seu email, baby.

Seguidores

Hipocondria Literária Popular

Ocorreu um erro neste gadget