segunda-feira, 18 de maio de 2015
Meu poder é incrível
E não é nada
Dele tudo se pode
Compactar coisas em versos
E construir um significado plural
Anatômico
Verdades inteiras
E outra nem tanto

E tudo mais sobre leitura e o vento
sexta-feira, 15 de maio de 2015

Sobre o Mar

Som de mar batendo no rochedo
Somdemar        batendo no rochedo
Somdemar
Sou de marbatendonorochedo
Sou do mar
Sou o mar batendo
Sou mar batendo
Sou mar
Sóamar
Só amor batendo
Espuma
Espuma

domingo, 3 de maio de 2015

Um argumento de desculpas,

A falta de esperança pode ser uma coisa boa. Só dela eu consigo te ver fielmente. Sem aquele tempo verbal do futuro, que te coloca rugas, rabugices, solitudes-de-filhos-ausentes-no-natal e tudo mais que o tempo pode desenhar/rabiscar em você. Meu bem, eu não moro no amanhã, não ainda. E por isso toda essa ansiedade e confusão de urgência. Eu te olho e te vejo, é esse o tempo, não é perfeito porque não se cumpriu, porque não terminou.

SOBRE O AMOR

O desgosto por meu bem é grande,

É do tamanho dele

Não, é maior

É do tamanho do quarto dele

Do apartamento dele,

É maior

É do tamanho de todo meu amor

Mas se ele mandar me chamar agora,

Às 1h16 da madrugada

Eu vou

O desgosto é menor que um beijinho dele



sábado, 2 de maio de 2015


Reivindico seu tempo

Acho um absurdo dormimos longe um do outro

Como numa viagem no tempo

Ou uma psicopatia amorosa

Sei podemos ser tudo

E tenho urgência

Vamos morrer

E preciso aprender sobre esse amor

Que brota da gente

Estamos apaixonados

E sei ainda, mesmo com medo

Que se preciso

Te deixarei consigo, longe de mim

Não caminharia sozinho

Mas não partirei com uma dúvida

Estamos apaixonados
Tecnologia do Blogger.

Inscreva seu email, baby.

Seguidores

Hipocondria Literária Popular

Ocorreu um erro neste gadget