quarta-feira, 29 de maio de 2013

CANÇÃO DA MULHER FIEL


Noite aquela me lembro bem
Sorri sozinha num canto da casa
Sem mais
Corri pro meu quarto
Despedi o corpo de trabalho
Na penteadeira antiga de vóvo
Tirei o cansaço com leite de rosas

Limpei, meus pés de chão
Limpei, meus calos na mão
Limpei, as marcas deixadas de sol com pó e talco, limpei

E já me via assim
Vestida de seda colorida
Sapado alto enfeitado
Pulseira de ouro banhado
Sorria no espelho
Esperando você
Pra mim
Em mim
Assim como quem treina pra ser feliz
Pra mim
Em mim

Chegou um tantinho atrasado
Me viu, batom de rouge com brinco furado
Olhou tanto assim desconfiado
Pegou apertado no braço
Sentiu que era feio meu andar disparado
Mandou destruir penteado
Chegou, já deixando de lado
Não vi mais meu marido assanhado
Saiu, sozinho assim desconfiado
No bar
Tomou tudo que era passado, de solteiro
E eu...
... descobri que o vizinho é bem fiel,
e ele não é nem casado.


sexta-feira, 24 de maio de 2013

TWITTER (GAIOLA)

Um dia um passarinho piou triste pra mim, 
eu piei de volta, 
hoje ele canta 
e eu desafino de volta. 

Pelo menos eu posso voar, 
ele gaiola.
quinta-feira, 16 de maio de 2013

QUERER


Sabe o que eu quero. Eu quero você. Quero o teu momento que ri feliz porque eu falei uma inutilidade absurda. Quero beijar o canto da tua boa, que é a verdadeira engrenagem do sorriso e do bico de “eu não tô gostando”. Adoro teus bicos, especialmente se consigo roubar um beijo e mudar tudo. Adoro você. Teu corpo. Tuas tatuagens. Teu cheiro de gente, de humano, de “eu não jogo lixo no chão”. Amo os teus “obrigados”, eu os teus “boa noite” sorrindo que dás aos porteiros. Quero mais que tudo, usar o pronome possessivo para justificar possíveis, futuras, brigas tolas ‘–você é meu, e eu sou seu, basta’. E quero morrer por querer tudo isso que acebei de inventar de você. Não temos história. Não temos nada. Nem passado. Nem nada. 
sábado, 4 de maio de 2013

PEDAÇO

A mulher dos meus sonhos
que mora em mim
anda pelada pela casa em dias de calor
toma banho ouvindo música antiga
ama cozinhar para os amigos
gosta de poesia
e de decorar textos
tudo pelo porque quer, e porque é
e ninguém tem nada com isso
só algumas pessoas,
algumas poucas pessoas... pouquinhas.
E em relação ao homem que eu sou, também.

ACIMA


Há significações
E o mundo é mundo por isso mesmo
Posso ser eu o escolhido
Que dentre os outros escolhidos históricos se somam
Ou não
Os edifícios negam sua história
E eu sei mentir
Agradecendo a Deus por isso
Porque a mentira esteve presente nos sobreviventes
alguns, ao menos]
E é Ele quem escolhe os sobre vida
Ao menos isso
O resto é martilho de Deus
Que é agraciado
O resto é comum
Todos têm

Deus ama de outra cor
Os sobreviventes


(sou outro)

DEPOIS AMOR


Vou chorar por nós dois
E depois morro

E depois vivo
Depois me apaixono
E tudo novo
Até o fim de novo
E de novo respeito
Tudo e choro

Choro
Até um outro depois.

Tecnologia do Blogger.

Inscreva seu email, baby.

Seguidores

Hipocondria Literária Popular

Ocorreu um erro neste gadget