segunda-feira, 20 de setembro de 2010

O MENINO E O TEMPO

O tempo dilata as coisas do meu quarto.
Tem coisa maior.
Tem menos espaço.
Estou maior também. Por fora e por dentro.

Amanhã bem cedinho,
Vejo se acho aquele cd, de anos passados.
Quero fazer experiências com o tempo. E com a música.
Vê se as coisas se transformam
Ao som de Rita Lee,
Ou de Kid Abelha.

Se tudo der certo, viro cientista.
sábado, 11 de setembro de 2010

PERCURSO Nº01

A palavra quer cair,
A palavra treme toda, agitada, ansiosa, hiperativa,

Palavra Balão de São João,
Palavra Bang Jump
Palavra Kamikaze

A palavra em ebulição, fervilha, não suporta mais ficar parada
Ela vai pular,
Ela vai pular.
- Cai palavra,
Cai palavra.

A palavra que agitou todos para permitirem sua queda
Prepara-se, (Treme timidamente, a coragem é maior)
Olha pra cima (Seu compromisso maior não é com o tamanho da queda é com fenômeno).
-Vai palavra,
Vai palavra.
Ela... CAI.
...
..
.
Caiu. Mais um poema é feito.
Mas, não se entristeçam
 A palavra não morreu.
Se transformou em poema,
em sentimento..
terça-feira, 7 de setembro de 2010

O nome menor da cidade.

Andando pelo mundo e perdendo nome.
Andando pela cidade e pelo estado e ganhando nome.
Coisas diferentes se ligam.
Coisas esperam.
Coisas crescendo e engordando: que pode ser sonhos e amores.

Sem título

“Você é mais que um problema
É uma loucura qualquer.” (Desabafo - Roberto Carlos)

Tinha me prometido nunca mais te ver, não assim, encontro marcado.
Promessa feita não pelas coisas ruins que você nos fez.
Foi feita pelo resíduo de amor que ainda restava nas minhas coisas, no meu quarto, no corpo.
...Ainda tinha cheiro de amor nos meus lençóis.

Eu não recusei o convite, ainda mais vindo de um problema seu,
A certeza de que não há volta para o amor de antes. Não me segurou de ir a sua casa,
Ou permitir a sua entrada na minha, depois.
Abri uma janelinha para você entrar.

Eu não te amava pelas coisas mortas,

Amava,
Amava,
Nem sei pelo o que amava.
Ainda há amor, por isso dói.
Esse amor meu que não tem lógica, amor assim de doido
De louco varrido,
Que desconcerta,
Que foge do normal sem querer, ou pensa ser normal,
Mas não é.
Tecnologia do Blogger.

Inscreva seu email, baby.

Seguidores

Hipocondria Literária Popular

Ocorreu um erro neste gadget