quarta-feira, 23 de novembro de 2011

PAREDE

Esse vídeo a baixo (Monica Salmaso cantando Beatriz) não deixou-me postar um texto onde se encontram as seguintes palavras:

Perfume
Verbo
Criança criativa
Não
Mais.




Desculpa do autor do Blog.

EU QUERO UM DOMINGO

Eu estou recortando sonhos
Quero semanas inteiras de domingo
Aqueles que fazemos tudo na primeira marcha
E só aquilo que queremos
Quero trabalho domingo
Amor domingo
Não o domingo Bethânia de força contida, resguardada
Quero Cecilia Meireles diante do mar
Com meus fones de ouvido numa música que me lembra mar
Eu e o mar
Pelados
Sal e liquido
E flora e fauna
E pesar das horas
Estas que não as quero contadas
Quero vividas.
Quero gerúndios absolutos
E os outros os errados gramaticalmente

E o amor
Se não presente ou vivo
Esteja guardado para o próximo viver
Que venha em um milênio ai
Onde eu seja eu de novo
Embora outro no espelho
Pois sou antes de um corpo novo, um sopro de alma
Que Deus achou bonito e soprou

terça-feira, 15 de novembro de 2011

HOMEM DEUS?

Deus está em tudo
Nos homens também
Que são todos a sua única imagem
Eu não perguntaria se Deus existe
Eu perguntaria a Deus se os homens existem
Deus com esse nome meio plural
Somos deuses?
Criamos também: edificamos pontes, arranceis, salvamos vidas... e as artes?
Existimos homens, Deus?
Olha com teu olho humano para mim e responde.
Pega a tua mão mortal e cansada de criar mundo e responde.
Sorri de experiência, por ser mais velho, num sorriso de sábio e responde.
Responde na tua fala mais humana, e mais materna possível
Reponde Deus,
Responde se existo.
Responde, antes que eu doido, delirando responda em teu nome,
Respondendo pela tua imagem, que é minha também,
Respondo e talvez erro
e talvez o mundo se acabe
de tanta blasfêmia.
quinta-feira, 10 de novembro de 2011

O ALUNO



Bastou um sorriso
Falta anulada
O homem novo é bobo e dá aulas de inglês
Como pode se ele não tem boa dicção?
O aluno também não,
então ele fica calado e não reclama.
Mas pensa em reclamar.
O mundo é um mistério
de espelhos malditos.

ÁGUA PARA VIVER

O frio de maio começa.
Não é porque é o mês do meu aniversário,
O mês que sempre me diz para eu ser frio.

As folhas têm um cheiro bom,
queria ser uma folha,
cheirar bem, mesmo sem água para molhar, limpar, alimentar.
Eu que vivo me esquecendo, ao pensar em ti.

Deixa que amanhã eu vou pro mundo
Tomo banho, e coloco um perfume
cheiro de mato.
Afinal, folha molhada cheira mais e é melhor de se ver.
É quase junho.
Tecnologia do Blogger.

Inscreva seu email, baby.

Seguidores

Hipocondria Literária Popular

Ocorreu um erro neste gadget