quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

a ROTINA caiu na rotina

ROTINA


Ceguei-me, não vejo mais nada ao meu redor.
Não sinto gosto, não sei mais se é amargo ou se é doce.
Minhas mãos estão dormentes, não sinto frio nem calor.

O amor vem ao meu encontro e não me encontra.
A música confortante, não mais conforta: É dor de cabeça.
A lágrima que se prepara para cair, seca. Tímida fica presa na memória.

Minha agenda me morde. Seus dentes à mostra me repudiam.
Meu celular grita comigo.
- Eu quero é minha mãe dizendo vai dormir menino, teu mal é sono,
Só isso e os compromissos sumiriam.

CANÇÃO PARA COMOVER MINHA MÃE

Minha mãe ora vai para missa, ora vai para o culto
Minha mãe quer chegar mais perto de Deus, e se cega.
Oh mãe, mãinha, Deus está em tudo,
um templo messiânico não o retém.

Há de Deus em mim, em Ti, no Max, até no inferno perto dos que tem esperança.
Deus está tão presente nos órgãos genitais quando nos altares das igrejas.
Não duvide da sabedoria divina,
Ele está presente na hora do sexo, da guerra, do ódio, tanto quanto do amor e da paz.
Ele é a luz que vem no sonho do cego, fazendo-o sorrir.
Deus não é o produto de um homem, falando de seu entendimento da bíblia.
Deus é a bíblia mais você (contato e tradução).
Deus está no chão, está no mar,
está no bem, está no mal e sobre ele;
Deus está dentro e a cima de tudo.
Oh mãe, mãinha, Maria filha de Maria e de Deus,
Deus é onipresente.
Tecnologia do Blogger.

Inscreva seu email, baby.

Seguidores

Hipocondria Literária Popular

Ocorreu um erro neste gadget