quarta-feira, 31 de outubro de 2012

pouco


e teu nome é pouco
e teu passado é pouco
e teu respirar, tua ausência
teu relógio, escapulário
rezas, santos
é tudo pouco
e pouco já acabou.
segunda-feira, 29 de outubro de 2012

TEUS


teus erros pequenos,
mas errados
sujos

A CIDADE TE COMEU PRIMEIRO



Desculpa se eu te arranho
Perdão pelas horas horrorosas e desprezíveis passadas em minha companhia
Com as quais você reviveria todas elas, eu sei
Devolvo todo ouro, toda prata, todas as terras e gados e plantações
Empenhadas ao meu nome pela mão direita
De senhas e assinaturas

Sei de tuas grutas
Donde brotas tu
Essência e liberdade escondida
Teus detalhes quais beije todos eles, meu amor
Sabias que teus erros eram todos erros somente
E os perdoei
Todos eles

Não morremos, amor
Apenas uma avalanche de circunstâncias absurdas caiu sobre nós
E estávamos longe demais para um abraço
Estamos separados
No duro e cru para sempre
terça-feira, 2 de outubro de 2012

ADEREÇO, eterno da vida


Sê a mesma coisa sempre... Não.
Lagarta
Esquece tudo
Transforme-se
Descobre-te casulo
Morre lagarta
Vira borboleta
Morre borboleta
Vira adubo
Morre adubo
Vira flor miúda
Morre flor
Vira adereço de moça bonita
Anda, vive sorriso.
Tecnologia do Blogger.

Inscreva seu email, baby.

Seguidores

Hipocondria Literária Popular

Ocorreu um erro neste gadget