sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Por que esse olhar agora?
Se foste tu mesmo que procuraste a desgraça e humilhação.
Foste forte para levantar mundo de uma só vez.
Por que tremes diante da matriarca de mão dourada?

As ruas escuras que andaste,
Os becos e a solidão de dois
O espelho da casa vazia para se vê feliz
O grito gago, Lady Gaga mais gaga pelo não entendimento
Que diz o narrador que você não escuta:
É ilusão,
É ilusão.
Teu nome é uma canção que se escreve com o nome da cantora que a canta
É Gal
É Gal
Teu nome é Gal.

E tu?
Ainda!
Levanta. Não precisa ser ligeiro
Ligeiro pode ser só o bairro de uma amiga.
Tu podes ser outro adjetivo.
Um calmo. Teu. Sem cópias de Gagas que tiram o sono dos outros e marcam fotos feias, sujas.
Tu és depois disso. Em cima disso. Porque isso é feio, é breu.
E o breu não combina com você.
Você que brilha onde quer que esteja.

0 Opinião (ões):

Tecnologia do Blogger.

Inscreva seu email, baby.

Seguidores

Hipocondria Literária Popular

Ocorreu um erro neste gadget