domingo, 10 de junho de 2012

[O símbolo matemático de não pertence dá título a este poema.


Passado o teu caminho
Eu num caminhão indo pro norte
Sou destino e coragem
Uma noite numa pousada e alguns mosquitos
E posso ser ainda mais eu
Tomando sozinho um café de manhã
Na Bahia
Ou em Belém
E você em Brasília com seu novo amor
Mofando nas coisas pequenas que você gosta e prega
E a luz nova que me clareia
Molha o meu caminho de esperança e descoberta
Deixo-te em lembrança morta
Rasgado todo junto do bilhetinho de amor que ganhei no meu aniversário
E jogue no lixo.

[O símbolo matemático de não pertence dá título a este poema.]

0 Opinião (ões):

Tecnologia do Blogger.

Inscreva seu email, baby.

Seguidores

Hipocondria Literária Popular

Ocorreu um erro neste gadget