sábado, 9 de julho de 2011

O Panda e os Anéis de Saturno

E não vou me deter aos que não têm amor.
Eu sempre tive, sempre sofri, sempre fui feliz.
"ninguém é de ninguém" nunca surtiu efeito nesse garoto aqui
que queria pescar na calçada na água da chuva.
Sempre amei o verbo. E dele não nunca me larguei.
Fui o melhor amante, na mentira, na verdade,
infinito até quando (quanto) durou.

0 Opinião (ões):

Blog Archive

Blog Archive

Tecnologia do Blogger.

Inscreva seu email, baby.

Seguidores

Hipocondria Literária Popular