sábado, 21 de junho de 2014
Tá vendo só meu amor
Esse futuro presente que você plantou
Não era o que você queria?

Sei que a culpa nessas horas
Ficaria comigo, mas não
Aqui ninguém é culpado

De ruim nessa distância toda
São só as primaveras de apartamento
E todos os invernos solitários

Eu, canto baixinho na cama
E a dor passa
Você não sente, não ouve
É tudo muito cruel pra mim
Mas esquecer seria bem pior
Eu sei

O mar é tão lindo
São só dois passinhos
E o sal pode limpar tudo de ruim
É só tentar

Pra terminar
Uma letra
Um voto
Um sentimento
Os olhos no vazio vendo o que não é aparente
Que está no ar
E o ar
Está em tudo

[boa sorte, desejo o avesso disso tudo.


0 Opinião (ões):

Tecnologia do Blogger.

Inscreva seu email, baby.

Seguidores

Hipocondria Literária Popular

Ocorreu um erro neste gadget