segunda-feira, 19 de novembro de 2012

AINDA SIM

Não posso de deixar de sentir sua presença, embora distância, barreira, pessoas, você ainda existe. Respira, come, trabalha, dorme... e eu sei, você vive. E talvez eu não, ainda. Mas eu melhoro. E poderemos, então, ser não mais que (doces e mentirosas) lembras (educadas para uma não grosseira troglodita).

0 Opinião (ões):

Tecnologia do Blogger.

Inscreva seu email, baby.

Seguidores

Hipocondria Literária Popular

Ocorreu um erro neste gadget