domingo, 12 de novembro de 2017

EU SEI

Sei como quem sabe respirar,
Um impulso corporal fisiológico natural
Que essa distância entre nós, nos deixam doentes
Sinto o sol que toca inutilmente as superfícies sem aquecer o dia
Sinto a descoloração da sua pele num país estrangeiro
Sinto meus olhos tristes e desinteressados que não te procuram por perto
E o amor despedaçado pela casa toda
Tomo uma aspirina e escuto aquela música
Agostos inteiros aparecem, como num efeito cinematográfico
Nós dois numa transição de segundos

E até esse poema acabar será dezembro.

0 Opinião (ões):

Tecnologia do Blogger.

Inscreva seu email, baby.

Seguidores

Hipocondria Literária Popular

Ocorreu um erro neste gadget