quinta-feira, 8 de agosto de 2013

LADAINHA DO LAR INCONSOLADO


São seis horas da manhã
Que alteia as sombras na casa
É sinal de que eu não durmo
É sinal que só eu é quem ama

Teu carinho
Teu travesse
Pro teu santo uma oração
Faço tudo ouvindo o rádio

Eu sei, eu sei
Somos casados

Te guardo um fã
Dormindo empacotado
Que te espera sempre ansioso
E que ser todo teu passado

Mora, tua casa é que é teu caso
Meu querido
Meu doce amado
Não vês que eu sou a mesma que do passado
Que o gosto fica o mesmo
Pra quem ama

Mora, tua casa é que é teu caso
Meu querido
Não vê que sou a mesma
que teu corpo acende,
anuncia aquele passado



0 Opinião (ões):

Tecnologia do Blogger.

Inscreva seu email, baby.

Seguidores

Hipocondria Literária Popular

Ocorreu um erro neste gadget