sexta-feira, 12 de junho de 2015

Namorados, dois

Para o meu amor uma flor,
Um domingo só dele que eu estou deitado
E me vê, inteiro, integro e nu
Um amor que toca com mãos humanas, e palavras divinas
“você é meu, sabia?”
Sei sim meu bem, sei tudo da gente
Tudo inventado e posto nas redes sociais
Nós dois nus
O mundo acontecendo e uma ordem misteriosa
A palavra que diz, é
A gente é,
E tudo tenaz a ponto de não ser nada num outro instante
Merecemos tudo
Tudo que dure uma música do Chico Buarque
Ou do Edu Lobo
Ou dos dois
Aquele cântico da Cecília Meireles
Ou aquele poema da Adélia Prado
Que é o nosso amor
Um beijo em você
Certo de que tudo morre um dia
E sabemos disso
Te amo, também eunuco
Como amor de pai pra uma filha
Ou de um amor saudoso de uma avó morreu
Se passar tudo isso,

Pode ter certeza que passamos também.

0 Opinião (ões):

Tecnologia do Blogger.

Inscreva seu email, baby.

Seguidores

Hipocondria Literária Popular

Ocorreu um erro neste gadget