quinta-feira, 30 de outubro de 2014

no imperativo

Entra ditadura, sai máfia comportamental e eu sobrevivo. 
Às vezes sou eu o Imperador, outras escapo por um triz. 
Evolução sempre, pra frente é o meu movimento, 
mas lá dentro, guardadinho, ainda mora um anjo. 
Não tentem me corrigir, poema tem licença para acontecer.

0 Opinião (ões):

Tecnologia do Blogger.

Inscreva seu email, baby.

Seguidores

Hipocondria Literária Popular

Ocorreu um erro neste gadget