terça-feira, 11 de setembro de 2012

GAIOLA


Gaiola aberta
Ganhei o mundo, avoando pelo mata clara e escura
Tudo vento e brisa
Tudo folha, minhoca e formiga
Tão bom goiaba madura no pé esperando
Canto, canto, canto em todo canto
Mas pedra de “balinheira”, conhecida por saudade
Acha meu corpo, e depois de queda livre, acordo.

0 Opinião (ões):

Tecnologia do Blogger.

Inscreva seu email, baby.

Seguidores

Hipocondria Literária Popular

Ocorreu um erro neste gadget