quarta-feira, 25 de julho de 2012

INVENTO


Posso te inventar um nome, na verdade
Um apelido unisex
Uma cor pra te lembrar
Um cheiro teu, diferente dos outros
Tua cara no meio da multidão
Um quadro teu redondo, pintado estilo Tarsila do Amaral
Posso ser você para saber onde estás, por onde vem e o que quer
E o que posso te dar
E o que posso te ter

Mas fecho portas
Portões, janelas , passagens
Deixando tudo surpresa
Novo, susto
Para uma única e incrível certeza
Nós dois pelados
E pela janela de vidro
Alguns astros curiosos e tarados.

0 Opinião (ões):

Tecnologia do Blogger.

Inscreva seu email, baby.

Seguidores

Hipocondria Literária Popular

Ocorreu um erro neste gadget